O lado sombrio de Eterna | Bianca Sousa | Site Oficial

O lado sombrio de Eterna

Quem ouve falar de Eterna: o som do amor pela primeira vez nem imagina que além de uma história de amor, há uma trama obscura, como o outro lado da Lua.

Assim como na vida, tudo tem dois pesos, Eterna traz essa mistura de sentimentos e personagens cheios de defeitos e medos. Cecília e Bernardo, personagens principais da trama, são provas (vivas!) disso. Se por um lado Cecília é a representação do racional, prático, “real” e científico, Bernardo é a prova de que tudo é efêmero e mágico. A vida como a arte é linda e tem fim. Ou não. Afinal, uma vez que vivemos o momento, ele permanece imutável. Portanto, eterno.

Já os demais personagens, longe de serem classificados como perfeitos, se unem ao enredo para trazer verossimilhança à história e porque não, certa leveza. Momentos cômicos são o alívio que todos esperam depois de uma boa dose de drama! Assuntos mais reais como assassinato, traições e problemas de família também são retratados no livro.

Com passagens pelos pontos turísticos e históricos da cidade de São Paulo, Eterna, mapeia a jornada humana na busca de sentido na vida, marcando os (des)encontros que se sucedem todos os dias.

-

Sinopse do livro:

Bernardo Milano é um violoncelista talentoso que tem sua vida arrancada de forma abrupta: é assassinado no dia de sua estreia como solista no Theatro Municipal de São Paulo.

O crime choca todo o país, em especial a cientista Cecília Ferreira que sem saber, faz um trato com uma entidade voodoo. Bernardo desperta de seu túmulo, mas o milagre veio acompanhado de uma maldição: se de dia ele vive, à noite sua verdadeira face cadavérica é exposta.

Contra todas as (im)possibilidades, Cecília e Bernardo recebem do destino uma segunda chance. Conseguirão burlar a morte e fazer com que esta não se revele um caminho sem volta?

> Garanta o seu exemplar físico ou digital.

Bianca Sousa

Escritora. Fantasia e Romance. Autora de "Eterna: o som do amor", "Eternamente sua", "O canto do cisne" e "O dia que o Sol não nasceu".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ei, obrigada por passar aqui!